quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Pedido de ajuda de um pai desesperado

Bom dia a todos,
hoje a minha mensagem é dedicada a uma causa especial.
Recebi um email da minha professora de psicologia, que como eu, ficou sensibilizada. Desta forma vou colocar disponivel o mail que este pai escreveu como pedido de ajuda.

carta do pai desesperado:
"Bom Dia,
O meu nome é António Oliveira, tenho 49 anos (jovens), sou casado, a minha esposa chama-se Joana, tem 28 anos e temos dois filhos, o António que vai fazer em Dezembro 3 anos e o André que também faz em Dezembro 10 anos e que iniciou este ano o 1º Ciclo.
Tenho formação académica ao nível universitário, trabalho desde os treze anos de idade, (assisti ao dia da “revolução” o 25 de Abril), e nos últimos trinta anos desempenhei funções em cargos superiores de gestão em várias empresas da indústria alimentar em Portugal, a última das quais aqui em Torres Vedras, para além disso tenho também habilitações e prática na condução de veículos pesados de mercadorias em rotas internacionais.
A minha esposa tem o 12º Ano escolaridade e também vários cursos ligados também a áreas de gestão de recursos humanos, e nos últimos anos trabalhou em empresas da grande distribuição (hipermercados), onde desempenhou funções de gestão de recursos humanos.
três anos a gerência da empresa onde eu trabalhava (Indústria Alimentar) de repente e sem razão aparente decidiu encerrar esta unidade fabril tendo eu e todos os que lá trabalhavam ficado no desemprego.
Inscrevi-me no Centro de Emprego de Torres Vedras, e por iniciativa própria solicitei ser inserido em algum programa ocupacional, não só para me sentir bem comigo próprio por receber o subsidio de desemprego, mas também porque sou uma pessoa muito activa e assim ter alguma coisa de útil para fazer.
Inicialmente fui trabalhar para uma biblioteca, mas este trabalho era bastante monótomo embora eu tenha aproveitado para ler alguns livros interessantes, assim pedi para ser destacado para um outro programa ocupacional mais de acordo com as minhas capacidades tendo sido então colocado na Escola Secundária Madeira Torres como Responsável Administrativo do Centro de Novas Oportunidades.
Entretanto continuei sempre todos os dias a fazer uma procura activa de emprego tendo enviado centenas de curriculos em resposta a centenas de anúncios de jornais e da internet, mas sempre com resultados nulos.
A determinada altura decidi que teria que pensar numa nova área profissional porque apesar de toda a minha experiência profissional, apesar de toda a polivalência demonstrada ao longo de vários anos em gestão comercial, vendas, gestão de logística, gestão de recursos humanos, produção etc., não consegui arranjar trabalho nestas áreas. Assim, decidi ir tirar a carta de condução categoria C+E, que me habilita a conduzir Veiculos pesados de Mercadorias.
Entretanto como cheguei ao fim do periodo de receber subsidio de desemprego, fui "despedido" da Escola Secundária Madeira Torres.
Pontualmente consegui fazer alguns "biscates" neste trabalho de motorista de pesados mas apenas para cobrir férias de pessoas ou ausencias por doença, em algumas empresas daqui da região. Mas, ainda não consegui arranjar trabalho permanente nesta profissão como gostaria, quer em rotas nacionais ou internacionais.
Nos últimos dois meses andei a trabalhar na apanha de pêra e nas vindimas, aqui na região de Torres Vedras.
Agora estou de novo sem qualquer tipo de rendimento, e para complicar mais a situação, a minha esposa ficou também desempregada e numa situação que nem tem direito a receber qualquer tipo de apoio social.
Enquanto trabalhei, antes de ficar desempregado fui fazendo economias, pois nunca se sabe o dia de amanhã, mas nunca pensei que ficaria tanto tempo desempregado, mas as despesas correntes mensais são sempre as mesmas e não se compadecem se estamos desempregados ou não, as crianças estão sempre a crescer e necessitam de coisas quase mensalmente.
E as economias foram diminuindo pouco a pouco até não restar mais nada, e a situação chegou a um ponto que tive que recorrer até ao Banco Alimentar Contra a Fome para alimentar a minha família, mas até neste pedido de ajuda não tive muita sorte.
No dia 07 de Agosto de 2010 enviei por e-mail um pedido de ajuda urgente para o Banco Alimentar Contra a Fome de Caldas da Raínha e de Lisboa, no dia 08 de Agosto fui cantactado por Lisboa informando-me que ia ser contactado por uma Dra. Aida Franco da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras, onde tive, juntamente com a minha esposa uma reunião com a tal Doutora, onde nos foram solicitados vários documentos que atestassem a situação de precariedade do meu agregado familiar, documentos que foram entregues à pessoa atrás mencionada no dia 14 de Agosto (2ª Feira, a Dra. Aida Franco só recebe à 2ª Feira das 14 às 17 horas), onde me foi transmitido que teria de esperar a aprovação para a ajuda alimentar e que se esta fosse deferida iria então receber mensalmente e enquanto tivesse necessidade uma ajuda alimentar em conformidade com o meu agregado familiar.
Estive dois meses à espera para receber a primeira ajuda alimentar (recebi uma carta da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras com a data e hora para receber a primeira ajuda mensal, 12/10/2010 das 14:30 às 17:00 horas), e quando me entregaram a tão esperada ajuda de alimentos eu não queria acreditar.
E quem ler estas minhas palavras também não acreditaria, mas basta ver a fotos anexas para acreditarem, pois foi-me entregue um saco com o nº 93 que continha os seguintes produtos:
1 garrafa de guaraná antárctica de 1,5 Lt.
1 embalagem de creme de avelãs 440 grs.
1 torta de frutos silvestres de 300 grs.
1 pacote de bolachas c/recheio de chocolate de 180 grs.
2 latas de salsichas de 350 grs.
1 lata de salsichas de 250 grs.
2 latas de atum de 120 grs.
1 pacote de esparguete de 500 grs.

Como podem constatar, dificilmente alguém se conseguiria alimentar durante um mês com estes produtos e muito menos duas crianças.
Vejam, que os meus filhos nem sequer contaram para nada na "ajuda" prestada, pois não foi comtemplado nenhum produto básico essencial para a alimentação deles como leite, yogurtes, papas, cereais, etc.
Revoltado com a situação enviei por e-mail uma exposição de toda esta situação com as fotos a comprovar a veracidade do sucedido para o Banco Alimentar de Lisboa e de Caldas da Raínha, pois acredito que estes quando me encaminharam para a Santa Casa de Torres Vedras, também acreditaram na articulação com este organismo para me darem apoio, mas até agora não me deram resposta.
Continuo assim com o problema de não ter nem sequer meios para comprar os produtos mais básicos para alimentar os meus filhos, para já não falar que já estou a pagar a rende de casa em parcelas esperando que a compreenção do senhorio não se esgote e que a qualquer momento irei ficar sem luz e sem gás por falta de pagamento.
O meu filho mais velho que entrou este ano para o primeiro ciclo já não tem roupa  e calçado de inverno que lhe sirva, e também não sei como colmatar estas faltas.
Eu apenas quero poder trabalhar, ou será que eu como cidadão que sempre trabalhou, que sempre cumpriu com as suas obrigações não tenho direito a sustentar a minha familia.
Que País é este em que não se tem nenhum direito, que sociedade é esta em que não se tem direito a educar os filhos se não tivermos meios, que País é este em que as pessoas não têm direito a ganhar a seu sustento.
Não sei até quando irei aguentar esta situação de desespero, já esgotei todas as alternativas de onde pedir apoio, não sei mais o que fazer.
Começo a ter receio, medo até, dos pensamentos que me passam pela cabeça, só ainda não fiz uma asneira porque penso neles (meus filhos) e na minha esposa, mas até quando vou suportar esta situação de falta das coisas mais básicas para poder criar os meus filhos, para poder sustentar a minha casa, a minha família.
E o meu filho mais velho? O que pensará de tudo isto? O que pensará deste pai que nem comer consegue pôr na mesa? Já para não falar do resto.
A quem ler estas minhas palavras, faço um apelo de ajuda do que puderem para a minha familia.
Um trabalho é o principal, pois o que quero é trabalhar, mas também preciso de ajuda no que puderem ajudar-me.
Um Pai desesperado
António Oliveira"

Como vêem não é dificil ficar sensibilizado ao ler este email, por esta razão, peço a vossa colaboração no que vos for possível para ajudarmos este pai e esta família. Deixo ideias tais como: roupa, livros e brinquedos ou material escolar para estes meninos. Alguns produtos alimentares essenciais e baratos (ex: massas, arroz, papas ou cereais para os meninos, leite, açucar, sal, óleo, azeite, etc.....) Porque isto não está fácil para ninguém.......mas se todos disponibilizarmos alguma coisa podemos mudar a vida desta família na altura em que mais precisam.....
Também já enviei o email com o pedido de ajuda para o programa "você na tv" de Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, ao qual aguardo resposta.
A todos os interessados em participar nesta causa, peço que respondam a esta mensagem.
Espero conseguir ajudar.
Obrigada a todos !!!

sábado, 20 de novembro de 2010

olá

Olá a todos,
mais uma vez tenho estado ausente, sendo razão desta ausência a tão temida época de exames que como podem imaginar obriga-nos a ficar fechados para o mundo exterior.....tipo sem vida.
No geral os exames correram bem, só falta saber a nota do cadeirão: FARMACOLOGIA.
Esta espera pelas notas dá crises de ansiedade, sentimos um vazio enorme, sabemos que sabemos mas por vezes temos medo, que isso não chegue se deslizarmos no dia dos exames, ou seja, por vezes os nervos não ajudam a raciocinar e esquecemo-nos de escrever coisas importantes......mas é assim, ninguém disse que era fácil. 
Eu adoro farmacologia, e até já sei qualquer coisa, mas o problema é o tempo, esta gente é toda louca.
Em 8 semanas temos de conhecer pela primeira vez a matéria, que são mais ou menos 18 grupos de fármacos. 
De seguida entender o mecanismo de acção dos vários tipos de fármacos dentro de cada grupo, tendo cada fármaco mecanismos diferentes. 
Depois saber tudo relacionado com esse fármaco, ou seja, indicação terapêutica, efeitos laterais, contra-indicação, cuidados especiais, toxicidade, tipos de administração, tipo de absorção, biotransformação, eliminação do fármaco, etc...... E por ultimo, interacções desse fármaco com outros. 
Como vêem é de loucos e a razão da minha ausência.
Mas uma vez acabados os exames, estou uma semana de férias, verdadeiramente desejadas.


Às outras disciplinas já soube que passei, ( Enfermagem no Idoso, Técnicas de intervenções de Enfermagem, Fisiopatologia e Microbiologia ), só falta mesmo sair a nota de farmacologia para saber se a seguir vou para estágio.....ESPERO QUE SIM.......mas agora só na segunda-feira saberei.
Beijos a todos e bom fim de semana...........

sábado, 9 de outubro de 2010

Afinal o que faz a ASPIRINA?


Bom dia a todos!!
Estive um pouco ausente porque os últimos dias foram para estudar Farmacologia.
Como já vos disse, o que achar útil, vou tentar passar para vocês.

Em relação à aspirina, sei que muitas pessoas tomam e por diversas razões: os doentes cardíacos usam para um fim, os que têm uma dor de cabeça usam de outra forma, etc.....
Passo a explicar:
A aspirina pertence ao grupo dos Anti-inflamatórios não esteróides e o seu princípio activo é o ácido acetilsalicílico.
As suas indicações terapêuticas são para a dor, para a febre e para a inflamção, uma vez que este medicamento tem 3 funções: - analgésico, anti-pirético e anti-inflamatório.
Até aqui tudo bem.

Mas porquê que nos dizem sempre para tomar depois de comer?
E porquê que pessoas com problemas cardíacos passam a tomar uma aspirina por dia prescrita pelo seu médico? 

Pois é, afinal há mais para dizer sobre a Aspirina (ácido acetilsalicílico).

A aspirina quando tomada e absorvida vai usar um mecanismo de acção para o fim para o  qual é indicada, mas acontecem muitas outras reacções quando tomamos medicamentos e a aspirina não é excepção.

O mecanismo de acção:
A toma de aspirina vai diminuir umas enzimas as "ciclo-oxigenase" (cox1, cox2, cox3,....)que temos no organismo. (sendo a cox1 e a cox2, mais importantes para agora).
Estas enzimas existem para produzirem prostaglandinas.
Quanto à cox1, produz prostaglandinas não inflamatórias ou seja, elas existem no nosso organismo independentemente de haver inflamação ou não.
Quanto à cox2, produz prostaglandinas pró-inflamatórias, ou seja, a sua actividade é desencadeada perante uma inflamação.
A produção de prostaglandinas aumenta perante a dor, febre e inflamação, aumentando os seus efeitos.

Depois disto vou responder às perguntas:
  • A  cox1, está ligada à produção de prostaglandinas que protegem o nosso estômago da acidez do suco gástrico( líquido que se encontra presente no nosso estômago).
  • Também está ligada ao controlo da irrigação sanguínea dos nossos rins
  • Por ultimo, forma o "tromboxano A2" que é um agregante plaquetário (faz com que o sangue coagule, ou seja, que as plaquetas que constituem o nosso sangue e responsáveis pela coagulação sejam eficazes).
Se a Aspirina vai diminuir a acção destas enzimas, logo vai diminuir a produção de prostaglandinas.
Então temos as respostas:

Se existem menos prostaglandinas, o nosso estômago não está tão protegido, por isso é aconselhado tomar a seguir às refeições;

Se existem menos prostaglandinas logo o nosso sangue fica com menos agregantes plaquetários,  por causa da diminuição do "tromboxano A2", ou seja, para os doentes cardíacos  evita que se formem coágulos de sangue desnecessários causadores de muitas doenças, como por exemplo: uma trombose (AVC), um enfarte, etc.

Em relação aos rins, se as prostaglandinas controlam a irrigação, quando há uma diminuição de prostaglandinas logo vai haver uma deficiência de irrigação nos rins, por isso deve-se tomar especial cuidado a pessoas com insuficiência renal.

Sei que parece complicado, mas bem explicado até pode parecer simples.
Agradeço à minha professora Catarina Gomes!











Espero que tenha sido útil!!!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Doenças Cardiovasculares

Afinal o que é?

O QUE É A DIABETES?
A Diabetes é uma doença causada pela ineficácia ou falta de insulina.
A insulina é uma hormona fabricada no pâncreas, que serve para regular a quantidade de açúcar (glicose) no sangue.
Quando esta hormona não se produz em quantidade suficiente o nível de glicemia no sangue (quantidade de açúcar o sangue) aumenta.

QUAIS OS TIPOS DE DIABETES?
TIPO I, o pâncreas deixa de produzir insulina; começa geralmente na infância ou na juventude; é sempre necessário tratamento com injecções de insulina.
TIPO 2, o pâncreas produz insulina mas muitas vezes o organismo resiste à sua acção; este tipo de diabetes surge no adulto e por vezes está relacionado com o excesso de peso.


QUAIS OS SINTOMAS?
Não tratado, urina mais vezes e em grande quantidade, tem muita fome e muita sede, mas apesar disso pode estar magro e desidratado.
As senhoras têm com frequência infecções urinárias e prurido (comichão) vaginal.


QUE MAL TEM SER DIABÉTICO?
O açúcar (glicose) em excesso no sangue ao longo dos anos acaba por afectar várias partes do nosso corpo.
Os olhos, os rins, a circulação das pernas e dos pés, o funcionamento do coração e do sistema nervoso podem ficar alterados.
há também complicações quando nós não controlamos de forma indicada a doença.


PARA QUE SERVE A GLICOSE?
 A glicose é a forma mais simples de açúcar e serve de fonte de energia para o nosso corpo.
Quando nos mexemos, queimamos glicose para obter energia; para vivermos com saúde precisamos que todas as partes do corpo sejam alimentadas com glicose (açúcar).
A glicose que circula no sangue vem da transformação dos alimentos que comemos, a maior parte de alimentos ricos em amido.
Transportar a glicose da corrente sanguínea para as células é a tarefa de uma hormona chamada insulina.
As pessoas que sofrem de diabetes não produzem insulina em quantidade suficiente, chegando a não produzir mesmo nenhuma.
Acumulando assim a glicose no sangue, em vez de passar para as células.
Espero que tenha sido útil!

Apresentação



Olá a todos, inicío o meu blog com especial atenção ao estilo de vida dos mais crescidos.
Todos sabemos que um dia as chatices aparecem. Principalmente pelos hábitos alimentares, a falta de exercicio físico, a idade.....ou seja o caruncho!!!
Para todos aqueles que escolhem viver mais mas com qualidade, prometo que sempre que seja possível, partilho informações utéis e facéis de adoptar nos nossos dias.
Ainda não me apresentei, por isso esta conversa parece não fazer sentido.
Chamo-me Marisa, sou estudante de enfermagem, este ano mais ligada a adultos e idosos.
Agora já faz mais sentido tudo o que escrevi anteriormente!!!

Sei que parece uma chatice essa coisa de ter cuidado com a saúde, mas no fundo não é assim tão chato, se entrarmos nesse desafio com vontade de aprender, até se pode tornar engraçado.

Existem muitos capitulos relacionados com este tema, por isso vou simplesmente deixando algumas dicas.

Acordar mais bem dispostos, é fundamental! Eu falo por mim, existem manhãs difíceis.
Tomar um bom pequeno almoço. É uma alavanca para o dia.

Tal como qualquer outra máquina que não funciona sem energia, também nós não funcionamos se não comermos.

O facto de não se atribuir ao pequeno-almoço a importância que lhe é devida deve-se, talvez, ao seu próprio nome. Dever-se-ia, isso sim, chamar primeiro-almoço, para que se começasse a considerá-lo tão importante quanto o almoço ou o jantar.

A receita é simples: um pequeno-almoço completo compreende alimentos de três dos quatro grupos seguintes: cereis e derivados, legumes e frutos, leite e derivados e carne ou equivalentes.

Bem já escrevi muito, agora o desafio é:
fotos de pequenos-almoços  deliciosos!!!!    


o coração agradece


Beijos a todos!!!!!!