terça-feira, 25 de junho de 2013

LEITE!!! FAZ BEM OU MAL???

Olá a todos!!
A pedido de um amigo, hoje vou falar um pouco sobre os benefícios e malefícios do leite.

Actualmente o leite que é comercializado pode prejudicar a saúde. Ou seja, o leite de vaca industrializado proveniente de vacas alimentadas com hormonas e outros produtos tratados com pesticidas é bem diferente do leite que existia nas décadas anteriores. Existem grandes diferenças do leite retirado de vacas alimentadas em pastos verdes e do leite que se adquire em supermercados. Este leite comercializado tem caracteristicas bioquimicas e nutricionais bem diferentes que resultam da alimentação da própria vaca e posteriormente do processo de industrialização.

Em relação às crianças e adolescentes

Apesar de alguns malefícios, mesmo assim é menos prejudicial que os refrigerantes cheios de açucar. Então, nestes casos é preferivel beber leite evitando o consumo excessivo dos refrigerantes e outras bebidas gaseificadas. Mas também pode-se recorrer ao leite de origem biológica que não sofreu o processo industrial que é responsavel pela diminuição de qualidade original, sendo esse uma boa fonte de cálcio, proteínas, vitaminas e minerais.


Em relação aos mais velhos e à prevenção da osteoperose

Pois é...isto é mentira!
O leite industrializado não previne a osteoperose. Ou seja, a pasteurização do leite destrói as enzimas. Sendo uma delas bastante importante e essencial para a absorção do cálcio, a "fosfatase". Então que adianta o leite conter cálcio se não é possivel fazer a sua absorção? No fundo é como se estivessem a beber leite sem cálcio.  Se beber leite de origem biológica de vacas criadas em pastos verdes, alimentadas com produtos naturais, e se o leite retirado não sofrer posteriormente os processos de homogenização e industrialização, é uma boa fonte de cálcio e proteinas. Mas para pessoas com colesterol elevado ou sensiveis à lactose existem melhores opções.

Então onde obter o cálcio e as proteinas?

O que as pessoas procuram no leite e que este não dá, existem muitos outros alimentos que o dão. Sendo esses: Feijão, peixe, couves (os melhores: broculos e espinafres), cereais integrais, amêndoas e nozes em doses adequadas.
 

Curiosidades 1
" Investigações ligam os lacticínios à formação de artrite. Ou seja, num estudo com coelhos o cientista Richard Panush conseguiu “produzir” articulações inflamadas em animais apenas substituindo água por leite. Noutro estudo, cientistas observaram mais de 50% redução de dores de artrite quando os participantes eliminaram leite e lacticínios da sua dieta. "


Curiosidade 2
A universidade de Harvard declara que: " Lacticínios não fazem parte de uma alimentação saudável".

 
"A escola de Saúde Publica de Harvard enviou uma fortíssima mensagem ao departamento de agricultura dos Estados Unidos e a peritos de nutrição de uma forma geral através da última versão do guia alimentar "“Healthy Eating Plate”
"Os especialistas de Harvard declararam que o novo guia alimentar não só se baseou em sólidas investigações na área de nutrição, como também não foi influenciado por lobistas da indústria alimentar."
"A exclusão de lacticínios do “Healthy Eating Plate” baseou-se em afirmações de Harvard tais como:
“…o consumo excessivo pode aumentar o risco de cancro na próstata e possivelmente nos ovários”
“ … o cálcio é importante mas o leite não é a única, nem sequer a melhor fonte”

Nota:
Com isto, não têm de deixar de consumir lacticinios de uma só vez. Mas espero alertar para que tomem consciência que os lactícinios também não são os alimentos saudáveis que a publicidade quer fazer acreditar. Existe um grande mercado desses produtos!!!
Então fiquem atentos às caracteristicas do leite que encontram nos supermercados. Podendo escolher o leite de origem biológica e embalado de forma adequada. Este sim é uma fonte de cálcio, proteínas, vitaminas e minerais.


Espero ter ajudado a esclarecer o mito do leite!!
Principalmente ao meu amigo RICKY :))


 
 











 

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Colesterol e Aterosclerose!!

Já está extensivamente demonstrado que as alterações dos valores dos lípidos no sangue (colesterol, triglicéridos, entre outros) é um dos principais factores de risco para o desenvolvimento da aterosclerose e doença cardiovascular.
Considerada uma doença rara antigamente, a aterosclerose atingiu proporções epidémidas devido ao aumento da longevidade, a hábitos alimentares que promovem a ingestão de alimentos ricos em gorduras e à diminuição da actividade física.




 Níveis elevados de colesterol relacionam-se directamente com um risco aumentado de doença das artérias coronárias (artérias que irrigam o coração)





Poucas doenças têm uma evolução tão longa como a aterosclerose, que começa a afectar as artérias durante a segunda e terceiras décadas de vida. No entanto, os sintomas desta doença aparecem apenas após bastantes anos (e ainda mais tarde nas mulheres, relativamente aos homens). No entanto, apesar da progressão indolente e do longo período sem manifestações mais temidas de aterosclerose - como o enfarte do miocárdio ou o acidente vascular cerebral - ocorre tipicamente de forma abrupta.

O Colesterol é um componente essencial das células dos seres humanos e de todos os mamíferos, e é fundamental para a produção de algumas hormonas e dos ácidos biliares. É indespensável para que que múltiplas funções celulares ocorram e é transportado no sangue ligado a certos tipos de proteínas. Os triglicéridos desempenham um papel essencial na formação dos ácidos gordos livres, utilizados para a produção e armazenamento de energia.


Porque é o colesterol no sangue elevado mau?

Vários estudos realizados em todo o mundo nos últimos anos demostraram a correlação entre os níveis de colesterol no sangue e a doença das artérias coronárias (enfarte). O reconhecimento atempado e o tratamento adequado desta alteração podem reduzir as taxas de mortalidade e a incidência de eventos cardíacos.

"BOM" Colesterol e "MAU" Coelsterol

O Colesterol "viaja" pelo organismo ligado a proteínas. As proteínas conhecidas como LDL ("mau" colesterol) transportam o colesterol para todos os tecidos para ser  utilizado na síntese de hormonas, ácidos biliares, etc. O Colesterol em excesso relaciona-se com a depoisção de lípidos nas paredes das artérias.

Por outro lado, as lipoproteínas conhecidas como HDL ("bom" colesterol) transportam o colesterol no organismo, mas fazem-no no sentido contrário: removendo-o dos tecidos (incluindo as paredes das artérias) e transportando-o para o fígado onde é metabolizado. Foi demonstrado que os níveis de HDL no sangue são inversamente proporcionais ao risco de doença das artérias coronárias. Por outras palavras, quanto mais elevados os níveis de HDL no sangue, mais baixo será o risco de doença das artérias coronárias.

Valores alvo saudáveis

Colesterol total < 190mg/dl
Colesterol LDL< 115mg/dl
Colesterol HDL> 40mg/dl
Triglicéridos < 90mg/dl


A importância do tratamento e de atingir os valores alvo!

O tratamento das alterações dos lípidos provou ser bastante benéfico para os doentes, tanto através de medidas dietéticas como através de medicamentos, quando necessários.

Este benefício pode ser identificado tanto em pessoas sem história de doença cardiovascular, e também naqueles que sofrem de doença das artérias coronárias ou enfarte, acidente vascular cerebral (AVC) ou doença vascular periférica (dificuldade na marcha devido a obstrução arterial).

Tanto o diagnóstico como a escolha do tratamento da dislipidemia irão depender não só nos resultados dos exames laboratoriais, mas também nos registos clínicos e história médica do doente.

Os individuos com colesterol elevado devem ser observados pelo seu médico e procurar um controlo adequado dos níveis de colesterol e de outros factores de risco para doença das artérias coronárias (hipertensão, tabagismo, excesso de peso e obesidade, diabetes, etc). Da mesma forma, os doentes com níveis baixos de colesterol HDL no sangue e/ou níveis elevados de triglicéridos deverão também ser tratados.

Dentro do tratamento, as medidas dietéticas terão três objectivos:
- Atingir e manter o peso ideal;
- Seguir uma dieta equilibrada, que inclua fruta, vegetais e cereais;
- Restringir a ingestão de gorduras saturadas e hidratos de carbono refinados.

O seu médico ou enfermeira de família irão indicar-lhe alterações no estilo de vida:
- Dieta;
- Exercício físico;
- Moderação do consumo de álcool;
- Cessação tabágica entre outras;
- Medicação quando necessário.

Algumas recomendações:
- Procurar aconselhamento médico;
- Controlar a hipertensão;
- Deixar de fumar;
- Manter uma dieta saudável;
- Praticar exercício físico;
- Tomar os medicamentos conforme prescritos.


Aliemntos aconselhados:

Carne, peixe e ovos = Carnes brancas (frango, perú  e pato, sem pele); Carne de coelho ou cavalo. Peixes gordos (sardinha, carapau, salmão, lampreia, truta, arenque ou albacora) e restantes tipos de peixe (pescada, linguado, robalo, tamboril ou peixe-espada).

Leite e derivados = Leite magro, iogurte magro sem açucar e queijos magros (frescos, ricota, cottage).

Pão e farináceos = Pão e massas de todo os tipos, sem açucares adicionais.

Vegetais = Todos os legumes, tubérculos e vegetais verdes. Cereais d etodo o tipo: arroz integral, soja e derivados, sememntes d elinho, flocos de aveia, centeio, cevada, etc.

Fruta = Toda a fruta fresca, crua ou cozida, sem açucar. Nozes, avelãs e pistáchios, apenas de forma moderada.

Condimentos = Mostarda, molho de tomate sem gordura, limão, alho, vingre, ervas aromáticas, louro.

Açucar = Edulcorantes (aspartame, sacarina, etc).

Gorduras = Azeite e óleos de girassol, gérmen de milho e soja.

Bebidas = Água, chá e café (preferencialmente) descafeinados, sumos de fruta frescos sem açucar.

Alimentos não aconselhados

Carne, peixe e ovos = Carne de vaca, porco, cordeiro, carneiro, em especial com gordura; Todos os tipos de charcutaria (enchidos, presunto e visceras) e de produtos industriais pré-cozinhados (rissóis, croquetes, salsichas ou hambúrgueres).Marisco e bacalhau. Ovos apenas com muita moderação.

Leite e derivados = Leite gordo e meio gordo, leite condensado, iogurtes gordos com açucar, queijos gordos e natas.

Pão e farináceos = Produtos de pastelaria e todo o tipo de fritos ou pré-processados.

Fruta = Pinhões, ameixas secas, todo o tipo de frutas em calda.

Condimentos = Molhos em conserva, maionese e azeitonas.

Açucar = Açucar refinado de mesa, mel, marmelada, doces em geral.

Gorduras = Manteigas e margarinas, banha e toucinho de porco. Evitar também óleos de amendoin, de coco e de palma.

Bebidas = Bebidas alcoólicas em excesso, refrigerantes e sumos artificiais.


Não esqueça, faça uma dieta equilibrada juntamente com a pratica de exercicio fisico!!
:))